quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Formação do Mês de Dezembro do PMBFL.

Ofício Circular nº 397/2016– GAB/SE.
Senhores Gestores e Coordenadores Pedagógicos, 
Solicitamos comunicar aos Professores de Biblioteca que a formação pedagógica do mês de Dezembro acontecerá no dia 20/12, conforme quadro abaixo.
FORMAÇÃO PARA OS PROFESSORES DE BIBLIOTECA (20 de dezembro).

TEMA:
Plantando sementes, colhendo palavras.
DATA: 
20/12/2016.
HORÁRIO: 
7h30min às 11h30min
ou
13h30min às 17h30min.
ou
18h30min às 21h45min
(conforme horário de lotação)

LOCAL:
Escola de Formação e Aperfeiçoamento de Educadores do Recife (EFAER) Professor Paulo Freire.

Os professores com carga horária a partir de 200h/a em Biblioteca deverão participar também da formação intitulada: Criando, recriando e transformando materiais recicláveis em arte Natalina.
Solicitamos aos Professores de Biblioteca, que também participarão da Formação Criando, recriando e transformando materiais recicláveis em arte Natalina, que levem materiais para realização da atividade artística, tais como: garrafa pet, fitas decorativas, cola colorida/gliter, caixa de leite vazia, tesoura.
Solicitamos que este Ofício Circular seja impresso e afixado na sala dos professores ou em local de fácil acesso. Em caso de dúvidas, entrar em contato, com o Programa Manuel Bandeira de Formação de Leitores (PMBFL) pelo telefone: 3355-5934 ou pelo e-mail: gbfleitor5@gmail.com
Na oportunidade, apresentamos nossas cordiais saudações.
Atenciosamente,
ROGÉRIO DE MELO MORAIS
Secretário Executivo de Gestão Pedagógica

* Aproveitaremos a oportunidade para realizarmos nossa confraternização, para tal solicitamos a contribuição com um item para um lanche coletivo.
Compartilhem e divulguem!!!!




quinta-feira, 24 de novembro de 2016

I Seminário de Mediação de Leitura: contos, encantos e encontros no fazer literário


I Seminário de Mediação de Leitura:
contos, encantos e encontros no fazer literário
  

Agora já lembrança afetiva. E quanto momento pra não esquecer!
Desde o primeiro pensamento ousado de fazer um seminário ao ponto final de uma pauta pensada e vivida em dois dias intensos de, como o próprio tema propõe contos, encantos e encontros no fazer literário nas bibliotecas escolares do Recife. Momento mais que especial, no ano dos dez (10) anos do PMBFL.

 
A EFAER foi preparada previamente para acolher o público participante: Professoras e Professores de Biblioteca do PMBFL, uma vez que o Seminário foi considerado a formação de novembro. Foi solicitado, também, que as escolas enviassem um representante para participação, mesmo que não tivesse Professora de Biblioteca.

No credenciamento foi entregue ao participante, um bloquinho, caneta, lápis e borracha. Um marcador de livros. E mensagens a escolher. Mimos criativos por Bárbara Virgínia.



16/11/2016 - Manhã

Na fala de abertura, a Professora Cristiane Maria enfatizou que o seminário compôs a programação anual do PMBFL-Programa Manuel Bandeira de Formação de Leitores e que possibilitava uma reflexão sobre o ato de ler nos diversos espaços da cidade, pois que focava no diálogo entre pesquisador, autor e professor. “A mediação aqui é compreendida a partir do conceito vigotskyano como experiências do meio, transformadas por um agente mediador com suas intenções, cultura e envolvimento emocional. Os contos, como universo da literatura infanto-juvenil, que trazem em seu enredo o encanto do sonhar, criar, valorar, humanizar. Por fim, esse seminário se constitui em um encontro de ideias e ideais que podem contribuir para formação de leitores na cidade do Recife.”
 
A Apresentação Cultural foi com professora Ariane Ravelle
da E.M. Professor João Francisco

A primeira mesa abordou o tema Formação de Leitores como objeto de pesquisa e “apresentou estudos e/ou projetos de pesquisas e/ou extensão acadêmica que refletem sobre a leitura como base para o desenvolvimento dos estudantes, sua autonomia e independência, bem como as condições favoráveis para a prática de leitura e sua incursão no mundo literário.”

Mesa: Formação de Leitores como objeto de pesquisa
Mediação da Professora e Pesquisadora Edite Marques de Moura - PCR

Maria Helena Dubeux – CEEL/UFPE

 
Bárbara Elizabeth Souza Nascimento – UFPE

 Helen Regina Freire dos Santos – CEEL/UFPE

   
16/11/2016 - Tarde

A Apresentação Cultural foi com a Professora Bárbara Virgínia, da equipe do PMBFL, com contação de história.

A segunda mesa do Seminário foi sobre o tema Eventos Literários e formação de leitores. “O termo evento aqui se contrapõe a concepção de algo imprevisto ou incerto. Nessa mesa, eventos literários traz a ideia de algo que está programado com antecedência e que, por seu êxito e sucesso, tornou-se um acontecimento que se repete e tem repercussão significativa na formação do leitor, seja no âmbito da escola,  seja na cidade.”

 
Mesa: Eventos Literários e Formação de Leitores
Mediação da Professora de Biblioteca e Equipe do PMBFL Cristiane Mª Gonçalves Soares - PCR

 
 Professora de Biblioteca Jacqueline Mª Pereira M. Oliveira - E. M. Sede da Sabedoria

 
 Professora de Biblioteca Fabíola Siqueira - E. M. Oswaldo Lima Filho 

 
 
Lúcia Roberta Guedes Alcoforado - Biblioteca Pública do Estado de Pernambuco

 
Iana Cláudia Leandro Marques - Fundação de Cultura da Cidade de Recife


Finalizando a programação da tarde de quarta-feira, foi apresentado o Momento da Escritora “pensado como forma de relato de pessoas que se tornaram escritoras sobre seu processo de criação, do ofício da escrita, suas motivações, suas obras e o processo de publicação/mercado”.
 

Professora Érica Montenegro – Professora de Biblioteca e Escritora



17/11/2016 - Manhã

Segundo Paulo Freire, “A leitura do mundo precede a leitura da palavra”, a mesa que vamos formar agora será diferenciada das demais porque se constitui de muitas pessoas falando sobre o mundo imediato (bairro) como ponto de partida para compreensão da história da cidade. Vamos compor com oito professoras de biblioteca, a FUNDAJ e a Fundação de Cultura.
A observação dos fatos e fenômenos que acontecem no entorno do lugar em que moramos é um primeiro passo para a compreensão de nossa história, a história da cidade e das possibilidades de fazê-la um lugar cada vez melhor de se estar.
Nessa mesa, o bairro não é apenas uma parte em que se divide uma cidade, mas território do viver, fazer, sonhar, sentir e conhecer. Daí surge a parceria do PMBFL com a FUNDAJ, tendo como objetivo construir registro memorial do bairro de cada escola sob a percepção dos estudantes e a responsabilidade das professoras de biblioteca.
Num olhar mais amplo sobre a cidade, temos a Fundação de Cultura do Recife, que tem publicado em sua Agenda Cultural artigos que tratam da história dos bairros do Recife a exemplo do “Meu bairro... Moro aqui”, representada por Manoel Constantino Filho.”


Mesa: Interagindo com a História do seu bairro
Mediação do Professor/Historiador Jair Santana - PCR

Nadja Tenório - Biblioteca Blanche Knopf / FUNDAJ

 
Jornalista Manoel Constantino Filho - Fundação de Cultura Cidade do Recife/Agenda Cultural

Projeto Interagindo com a História do seu bairro uma parceria da FUNDAJ com o PMBFL. Os textos escritos pelas Professoras de Biblioteca foram inclusos no Pesquisa on Line, no site da Fundação.
  
Professora Analice Albuquerque – E.M. do Coque no bairro do Coque

 
 
 Professora Érica Montenegro – E.M. do Coque no bairro do Coque

 
 
Professora Erijane Pereira Gonçalves – E.M. Compositor Capiba
no bairro doTorreão

 
 
Professora Alessandra Maria Venceslau – E.M. Nadir Colaço
no bairro da Macaxeira

 
 
Professora Jaqueline Campelo de Farias – E.M. Nadir Colaço
no bairro da Macaxeira

 
 
Professora Isabel Cristina Vasconcelos – E.M. Arraial Novo do Bom Jesus
no bairro dos Torrões

 
 
Professora Monaja Cristina de Oliveira – E.M. do Sancho
no bairro do Sancho

 
Professora Rosália Cristina da Silva – E.M. Waldemar Valente
no bairro de Jardim São  Paulo

 
 
Professora Walquíria Guimarães – E.M. Novo Pina no bairro do Pina


Apresentação Cultural com professora Irani Santana da Silva – da PCR.




17/11/2016 - Tarde

Apresentação Cultural da professora de biblioteca e escritora Analice Albuquerque.
 Professora de biblioteca e escritora Analice Albuquerque - E.M. do Coque

A quarta mesa do Seminário tematizou sobre Espaços promotores de leitura e seus encantamentos. “Os espaços promotores de leitura como lugares que se impulsionam de forma sedutora e mágica, portanto o gosto pela leitura é como definimos essa mesa. Observamos que o estímulo ao ato de ler ultrapassa o meio familiar e os muros da escola e outras instituições sociais surgem com a concepção ampliada de suas funções na sociedade, inserindo atividades que contribuem para a formação do leitor. Organizações públicas e privadas como universidades, bibliotecas, livrarias e organizações não governamentais passam a exercer, dentro da especificidade de público e de serviço de cada uma, um papel social significativo na formação do leitor”.
 

Mesa: Espaços promotores de leitura e seus encantamentos
 Mediação Ivana de Araújo Cavalcanti Silva – coordenadora do PMBFL

  Professora de Biblioteca Graça Nogueira  E.M. Nilo Pereira




 Professora de Biblioteca Vanda Maria  E.M. Nilo Pereira
 Paula Alves coordenadora da rede de bibliotecas do Sesc

 Reginaldo Pereira - Biblioteca Comunitária Caranguejo Tabaiares

   Taciana Valença - Livraria Jaqueira

 Momento do Escritor(a): Esse momento foi pensado como forma de relato de pessoas que se tornaram escritoras sobre seu processo criação, do ofício da escrita, suas motivações, suas obras e o processo de publicação/mercado.


 
 
Letícia Lins – Jornalista e escritora

 
Lenice Gomes – Escritora e Contadora de História


Galeria de fotos

 
Exposição dos livros artesanais produzidos pelos estudantes participantes do Projeto Interagindo com a História do seu Bairro,
parceria da FUNDAJ e PMBFL.

3ª edição do Projeto Marcas da Literatura,
idealizado pela Professora Maria Rosário Menezes, do PMBFL.

 
 Sorteios de pequenos mimos


Participações e depoimentos... 


“Eu gosto de delicadeza. Seja nos gestos, nas palavras, nas ações, no jeito de olhar, no dia-a-dia e até no que não é dito com palavras, mas fica no ar.”
Manuel Bandeira




quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Oficina de Ilustração de Livros Artesanais

SECRETARIA DE IMPRENSA

Estudantes da rede municipal do Recife aprendem a confeccionar livros artesanais

Com orientação do ilustrador italiano Maurizio Manzo, os alunos fizeram ilustrações com  mensagens de Natal, que deverão ser usadas para a confecção de cartões e livros.

Cerca de 30 estudantes e professores da rede municipal de ensino do Recife participaram, nestas segunda (21) e terça (22), da Oficina de Ilustração para Produção do Livro Artesanal. A atividade foi fruto de parceria entre a Prefeitura do Recife, por meio da Secretaria de Educação, e a Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj), e aconteceu na Biblioteca Blanche Knopf, em Apipucos. Com orientação do premiado ilustrador italiano Maurizio Manzo, os alunos produziram mensagens ilustradas de Natal, que deverão ser usadas para a confecção de cartões natalinos e livros para distribuição em escolas públicas.

A oficina aconteceu no âmbito do Programa Manuel Bandeira de Formação de Leitores (PMBFL), que funciona em cerca de 160 escolas municipais do Recife. "Foi um desdobramento do projeto 'Conhecendo a História de Seu Bairro', também numa parceria com a Fundaj, em que os alunos pesquisaram e fizeram livros artesanais sobre suas comunidades. Agora, fomos convidados a participar da oficina sobre técnicas de ilustração, em que os desenhos produzidos farão parte de um livro", explica a coordenadora do PMBFL, Ivana Cavalcanti.

Participaram alunos e professores de biblioteca das Escolas Municipais do Coque, Nadir Colaço, Compositor Capiba e Waldemar Valente. Nas oficinas, eles aprenderam a desenvolver técnicas de ilustração a partir de recursos naturais como pigmentos, terra e folhagens. "Estimulamos cada estudante a fazer uma mensagem natalina para o mundo, com uma nova leitura para desconstruir um pouco o conceito de Natal que eles têm. Mostramos também outras versões do papai noel, como o russo, que usa roupas azuis", detalha o ilustrador Maurizio Manzo, que é italiano mas reside em Minas Gerais.

De acordo com a coordenadora da Editora Massangana, Joana Cavalcanti, a ideia é lançar o livro com as ilustrações feitas pelos alunos no próximo ano, com tiragem de mil exemplares. "Esse livro será o projeto piloto de uma iniciativa que pretendemos levar para todo o Estado. A distribuição deverá acontecer em escolas públicas e instituições sociais", afirma. Ligada à Fundaj, a Editora Massangana publica obras de áreas como educação, cultura, memória e ciências sociais, com foco preferencial na realidade das regiões Norte e Nordeste do País.

DESENHOS - Aluna do 8º ano da Escola Municipal Nadir Colaço, Ana Paula Silva Santos teve a ideia de mostrar uma cidade decorada para o Natal. "Não quis fazer um desenho tradicional. Minha ideia foi enfatizar a decoração, destacando a beleza da cidade", conta. Já Wellington Guilherme, do 6º ano, fez uma boneca vestida com roupas de Natal. "A ideia foi simbolizar a época. Gosto muito de desenhar e estou adorando a oficina".









Matéria publicada no site da Prefeitura do Recife sobre o Seminário.

EDUCAÇÃO | 17.11.16 - 17H06
Secretaria de Educação do Recife promove seminário de mediação de leitura.


Professores de biblioteca e representantes de escolas municipais do Recife participam, até o final da tarde desta quinta-feira (17), do segundo e último dia do Seminário de Mediação de Leitura: Contos, Encantos e Encontros no Fazer Literário. Promovido pelo Programa Manuel Bandeira de Formação de Leitores (PMBFL) da Secretaria de Educação do Recife, o evento acontece no auditório da Escola de Formação de Educadores Paulo Freire, na Madalena, e conta com mesas redondas, palestras, declamação de poemas e exposição de trabalhos manuais e literários produzidos por estudantes da rede. 
De acordo com a técnica pedagógica do Programa Manuel Bandeira, Maria do Rosário Neves Menezes, o seminário tem como objetivo promover uma ampla discussão sobre a importância da mediação de leitura como instrumento de aperfeiçoamento do aprendizado. "Para isso, além dos professores e técnicos da nossa rede, estamos dialogando também nesses dois dias com pesquisadores da UFPE, escritores, jornalistas e representantes da Biblioteca Pública Estadual e da Fundação Joaquim Nabuco ", explicou. 

Como exemplo positivo desses diálogos, Maria do Rosário citou o projeto "Interagindo com a História do seu Bairro", realizado pela Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj) em parceria com o PMBFL. Entre março e outubro deste ano, estudantes de oito escolas municipais do Recife percorreram avenidas, ruas, morros e becos do bairro onde fica sua escola, conhecendo de perto locais históricos, peculiaridades e pessoas que vivem ou viveram no local. O resultado foi documentado em fotos, colagens e textos inseridos em livros artesanais expostos durante o seminário.

Presente no evento, a bibliotecária da Fundaj, Nadja Tenório, disse que a ideia da parceria com as escolas partiu do desejo dos que fazem a Fundação de compartilhar com os recifenses as milhares de obras e textos sobre a cidade do acervo da Biblioteca Blanche Knopf. "Também criamos um vasto material didático contando a história de monumentos e locais importantes do Recife. Esse material foi disponibilizado no site da Fundaj", ressaltou Nadja Tenório.
A parceria entre a Fundaj e as escolas municipais deixou entusiasmada a professora de biblioteca da Escola Municipal Nadir Colaço, na Macaxeira, Alessandra Venceslau. Ela explicou que, embora ensinasse na unidade de ensino há nove anos, não sabia nada sobre o bairro, assim como a maioria dos alunos. "Coisa simples, como o que o bairro oferece a seus moradores, quais as unidades de saúde, praças, parques, escolas, evolução histórica. Tudo isso foi pesquisado com visitas, entrevistas e muita leitura", comentou a educadora, lembrando que o bairro cresceu em torno da antiga fábrica de tecidos da Macaxeira, do grupo Othon, fechada na década de 1970. 

Quem também participou da abertura dos trabalhos nesse segundo e último dia do seminário foi o jornalista da Fundação de Cultura Cidade do Recife, Manoel Constantino, editor da Agenda Cultural do Recife. "É interessante observar que muitas pessoas que moram na chamada periferia não se sentem parte integrante da cidade. Essa iniciativa da Fundaj e essa parceria com as escolas municipais é uma forma de resgatar tudo isso, de aproximar as pessoas da nossa história. Por isso considero esse projeto glorioso", afirmou Constantino.