terça-feira, 23 de agosto de 2016

Formação do PMBFL - Mês de Agosto.


Festival Recifense de Literatura " A Letra e a Voz".

O PMBFL INFORMA:

XIV Festival Recifense de Literatura " A Letra e a Voz" começa na próxima quarta-feira (24).
Palestras, oficinas e apresentações artísticas acontecerão entre os dias 24 e 28 -
Há Letra e Há Voz na Mulher. Durante cinco dias, mesa de debates, ações formativas, recitais e Feira Literária, em várias partes do Recife, vão comprovar a afirmação do XIV Festival Recifense de Literatura “A letra e a voz”. Esse ano, ao invés de um homenageado, o Festival trará a temática feminina. As mesas acontecerão na Av. Rio Branco, de quarta a sexta-feira. Sábado e domingo, durante a Festa do Livro, o espaço também abrigará recital poético e contação de histórias. Haverá ações ainda nas Bibliotecas de Afogados, Casa Amarela e Compaz. “A Letra e a Voz” é uma realização da Prefeitura do Recife, através da Secretaria de Cultura, Fundação de Cultura, em parceria com as Secretarias da Mulher, de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, e de Turismo e Lazer.
A ideia da XIV edição é oferecer o “microfone” para as mulheres, já que existe uma produção literária latente e relevante feita por elas no país, e, sobretudo, em Pernambuco. “Acreditamos que o lugar da mulher é onde ela queira estar. A programação lança um olhar sobre a literatura, mas também traz o hibridismo com outras linguagens artísticas compondo um pequeno recorte do que elas criam e da qualidade com que realizam”, explica a curadora do Festival, Rita Marize.
Serão cinco mesas temáticas. Na quarta-feira, Berenice Bento (RN), Micheliny Verunschk – (PE/SP) e Renata Pimentel (PE), discutem “Mulher, Literatura e Mercado”. Na quinta-feira, acontecerá uma “Conversa com a poesia” com Socorro Nunes (PE), Clarissa de Figueirêdo (PE) e Mariana Tabosa (PE), sob a mediação de Pedro Américo de Farias (PE). Na sequência, Silvana Menezes(PB/PE), Carol Bensimon (RS) e Mariane Bigio (PE) discutem “De quem é a escrita? Da mulher, do homem, ou da gente?”.
Na sexta-feira, a produção de jovens escritoras será vista na mesa “Literatura da hora”, com Bárbara Nunes (PE), Luna Vitrolira (PE) e Isabelly Moreira (PE), Renata Santana (PE) faz a mediação. Encerrando a programação de debates, uma conversa em que as convidadas falam das principais influências em sua criação artística e o que as consomem, as inquietam no processo criativo da escrita: Que literatura te (tu) consome(s)? A provocação será realizada por um homem: Inácio França (PE), às escritoras Ivana Arruda Leite (SP), Vitória Lima (PB) e Cida Pedrosa (PE).
No sábado, as Secretarias da Mulher e de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, dão vez e voz às mulheres no Recital: Eu, Poeta! Com as escritoras e recitadoras: Luana Maysa Reis de Sousa (PE) e Ana Carla Lemos (PE). Completando a programação, o Recital Poético organizado por Altair Leal e a apresentação do grupo “As Severinas”, vindo do sertão de Pernambuco.
Domingo é a vez da criançada participar da contação de histórias com a Cia. Agora eu era... (PE).

Ações descentralizadas - As Bibliotecas Públicas de Afogados, Casa Amarela e o Compaz receberão as atividades formativas. Em Afogados, de quarta a sexta, acontece a oficina Contação de Histórias “Floreando aquilo que me contaram”, com Fabiana Coelho (PE). Já Casa Amarela recebe a “Oficina de Literatura de Cordel Para Crianças” com Mariane Bigio (PE). “O empoderamento feminino através do cordel”, com Susana Morais (PE) será a oficina oferecida no Compaz, sexta e sábado.
Festa do Livro - Marcando o encerramento do Festival, há 14 anos, a Festa do Livro consolida-se como uma das mais significativas feiras da programação cultural da cidade. A Avenida Rio Branco transforma-se, durante uma semana, num amplo espaço para levar o livro mais perto do público, com atividades que contribuem para a formação de novos leitores e divulgam a produção literária local.
São mais de 25 expositores, selecionados através de edital público, participando ativamente das atividades propostas pela programação geral do Festival Recifense de Literatura e de ações que eles mesmos, livreiros, sebistas e cordelistas programam para os seus estandes. Entre os destaques: lançamentos de novas edições, sessão de autógrafos dos autores, homenagem aos escritores locais, recitais poéticos e uma atenção especial ao público infanto-juvenil.
Ao longo da Avenida Rio Branco, a Prefeitura do Recife disponibiliza, para os expositores e para um público que aumenta a cada ano, uma bonita e bem produzida estrutura física para a realização da Festa do Livro. No domingo, O Recife Antigo de Coração, que abrange todo o Bairro do Recife no último domingo de cada mês, acolhe e valoriza a Festa do Livro atraindo um público de gosto variado e de todas as faixas etárias.
HORÁRIOS:
Quarta 24 e quinta 25: das 17h às 21h
Sexta 26: das 14h às 21h
Sábado 27 e domingo 28: das 9h às 21h

PROGRAMAÇÃO
CONVIDADOS
OFICINAS



segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Atividade Cultural do Mês de Agosto - UBE.

O PMBFL realizou a atividade cultural do mês de agosto na UBE, dessa vez, a parceria realizada com os Escritores que participam do momento semanal - Quarta às Quatro. Nesse evento, os Escritores reúnem-se para ler seus textos e desfrutarem de outras ações que envolvem questões literárias.
O PMBFL contou com a presença da Professora de Biblioteca Maria Helena Chaves, juntamente com 30 estudantes, que declamaram o Trem de Ferro de Manuel Bandeira. Uma parte bem emocionante para todos presentes foi a leitura das produções textuais dos estudantes em que eles puderam falar suas histórias de vida e seus sonhos.
Para a Equipe do PMBFL foi muito gratificante participar desse encontro e proporcionar aos estudantes esse contato com os Escritores Pernambucanos.










terça-feira, 16 de agosto de 2016

Brincando e Criando com o Mamulengo.

O PMBFL iniciou neste mês de agosto, um novo ciclo de atividades na Escola de Formação e Aperfeiçoamento de Educadores Professor Paulo Freire - EFAER. Essas formações ocorrem todas terças e quintas, no horário das 07:30 às 11:30. Estamos trabalhando a temática: Brincando e Criando com o Mamulengo.
 O grupo atendido pelo PMBFL são os Professores de Educação Infantil e Anos Iniciais.  
Nessa formação, os Professores estão podendo vivenciar a origem e o surgimento do Mamulengo no Brasil; entender a contribuição do teatro de bonecos para o desenvolvimento da leitura/escrita;  desenvolvimento da criatividade; concentração. Para finalizar, eles produzem seus mamulengos. Tem sido um momento de grande aprendizagem e ludicidade para todos participantes, já que estão podendo brincar e levar novos conhecimentos para as unidades de ensino.

Acervo do PMBFL.

Formadora - Célia Tenório - com sua produção.

Professoras produzindo os mamulengos.

Mamulengos feitos na Formação.

Mamulengos feitos pelas Professoras.

Formadoras do PMBFL - Thelma, Daniela e Célia.

Mamulengos.


sexta-feira, 22 de julho de 2016

Namorado novo.

- Lula, Lula, pode entrar! - falou o irmão, todo animado, da cozinha.
O irmão ficou sem entender. Lula ficou prostrado na porta de casa.
A mãe, atenta, cochicha:
-Não é Lula! É Beto!

(Texto produzido pelos Professores de Biblioteca durante a Formação do mês de Maio/ PMBFL/ Equipe: Patrícia Brayner/ Getúlio/ Dora).





segunda-feira, 11 de julho de 2016

Meu filho Canguru.

Um belo dia, tive uma surpresa:
- Grávida? E agora, o que fazer?
Nos primeiros dias, nada senti!
Meses depois, senti aquele mexido dentro...tempos depois pulos!!!
Será um canguru? Pensei...
Meses depois, nasceu. E dia após dia, foi crescendo e correndo sozinho, sempre pulando como um canguru!!!
(Texto produzido pelos Professores de Biblioteca durante a Formação/Equipe: Raphaella Padilha, Iracema Porto, Vanda Maria)


sexta-feira, 8 de julho de 2016

A Vaca Rica.

A menina residia em uma granja com seus familiares.
Sempre que queria comprar alguma coisa, pedia o dinheiro ao seu pai, que lhe respondia:
- Não tenho!
Entretanto, no dia seguinte, logo pela manhã, seu pai lhe entregava o dinheiro. A menina admirada, perguntava:
- O senhor não disse, ontem, que não tinha?
Como apareceu esse dinheiro?
Ao que ele respondia:
- Quando eu fui tirar o leite das vacas, às 5 da manhã, um amigo meu, foi até lá e me deu o dinheiro!
Isso aconteceu repetidas vezes!
Até que, um dia, a menina, curiosamente, perguntou:
- Papai! O senhor tem mesmo, um amigo que lhe dá dinheiro ou tem uma vaca que em vez de dar leite,dá dinheiro?
Seu pai sorriu e, dirigindo-se a sua esposa, disse:
- Você avalie! Escute o que essa menina está dizendo!
Percebendo que a criança havia entendido tudo, seu pai expressou:
- Minha filha, tudo o que eu consegui foi com muita luta! Não quero passar pra meus filhos a ideia de que a vida é fácil!!!
(Texto produzido pelos Professores de Biblioteca durante a Formação de Biblioteca/ Equipe: Udneide; Amenahyde; Zuleide Araújo;Graça Nogueira)